ARQUIVO

Vamos criar juntos os mapas da realidade que queremos viver? Vamos realizar duas oficinas sobre o MAP-SE na HUB Escola. Ela acontecerá em São Paulo no dia 13/02 e em Belo Horizonte no dia 20/02. Saiba mais e inscreva-se aqui:http://www.hubescola.com.br/curso/map-se/

veja completo

por
ARQUIVO

Agende esta data: 27/08 (SEGUNDA FEIRA -18h30 às 21h30) O Sarau de Ideias é um encontro informal e aberto, em que podemos trocar idéias e aprender em conversas sobre inovação e criatividade. Neste Sarau vamos conversar sobre processo criativo e entender como o Leque de Criatividade desenvolvido pela Dobra é utilizado para estimular projetos de inovação.Com Luciana Annunziata, designer de aprendizagem social e inovação, diretora da Dobra, e editora do blog: http://ideiasprainovar.com/ Traga suas perguntas e vamos experimentar juntos degustando um bom vinho. Seja bem-vindo ao nosso encontro. A inscrição para o Sarau deve ser feita pelo e-mail: inscricoes@livrariadavila.com.br Valor: R$ 30,00 Vagas Limitadas: 20 Vagas Loja: Fradique Coutinho, 915, Pinheiros

veja completo

por
ARQUIVO

Agende esta data: 27/08 (SEGUNDA FEIRA -18h30 às 21h30) O Sarau de Ideias é um encontro informal e aberto, em que podemos trocar idéias e aprender em conversas sobre inovação e criatividade. Neste Sarau vamos conversar sobre processo criativo e entender como o Leque de Criatividade desenvolvido pela Dobra é utilizado para estimular projetos de inovação.Com Luciana Annunziata, designer de aprendizagem social e inovação, diretora da Dobra, e editora do blog: http://ideiasprainovar.com/ Traga suas perguntas e vamos experimentar juntos degustando um bom vinho. Seja bem-vindo ao nosso encontro. A inscrição para o Sarau deve ser feita pelo e-mail: inscricoes@livrariadavila.com.br Valor: R$ 30,00 Vagas Limitadas: 20 Vagas Loja: Fradique Coutinho, 915, Pinheiros

veja completo

por
ARQUIVO

Make Space, de Scott Doorley e Scott Witthoft, dá dicas de como tornar os espaços de trabalho/escritórios mais criativos e colaborativos. O livro faz com que a gente abra os olhos para os espaços limitados de nossos cubículos, cantos de trabalho e salas de conferência. Acaba abrindo um leque de possibilidades para refazermos estes espaços. Nos mostra que podemos manipular estes lugares de trabalho para que tornem-se mais criativos facilitando a comunicação entre as pessoas. Encontramos ferramentas que nos auxiliam a contruir desde mobiliários até a dar algum acabamento nas paredes. Sugestões de ambientes que nos ajudam a criar, descontrair  e aprender. Execelnete para dar o ponto de partida no desenvolvimento de aprendizagem, inovação e criatividade em empresas, intituições e escolas. Recebemos esta indicação através do pessoal do HUB. Valeu a dica!

veja completo

por
ARQUIVO

O Sarau de Ideias é um encontro informal e aberto, em que podemos trocar ideias, tomar um vinho e aprender em conversas sobre temas emergentes em inovação e criatividade. Nesse Sarau vamos conversar sobre a arquitetura dos nossos espaços de convivência e como podem estimular os processos de criação. Agende esta data:02/07 (SEGUNDA FEIRA -18h30 às 21h30) Com Caio Vassão, Arquiteto, Urbanista. Recentemente, trabalhou na atualização e ampliação do Metadesign e propôs a abordagem da Arquitetura Livre, para processos colaborativos, e Luciana Annunziata, designer de Aprendizagem Social e Inovação, diretora da Dobra, e editora do blog: http://ideiasprainovar.com A inscrição para o Sarau deve ser feita pelo e-mail: inscricoes@livrariadavila.com.br

veja completo

por
ARQUIVO

Cada vez mais é preciso incorporar conversas sobre temas importantes para a nossa formação ao dia-a-dia. Nem sempre é possível fazer um curso, ou se dedicar profundamente a uma leitura. Por isso começamos a realizar as Conversas Virtuais. São encontros curtos, com duração de uma hora e meia, que acontecem em nossa plataforma Webex ou na plataforma de nossos clientes e abordam temas importantes ou tendências nas áreas de inovação e aprendizagem. É uma forma simples de compartilhar conhecimentos sobre temas tais como inovação aberta ou gestão de pessoas em contextos de rede e abrir uma janela no cotidiano para momentos rápidos de inspiração e troca. Tem sido uma experiência interessante para nós e para clientes tais como a Vale e a EDP. Se quiser saber mais, fale conosco.

veja completo

por
ARQUIVO

A  Hub Escola é um festival de aprendizagem estimulante e dinâmico com atividades em três temas: Inovação, Empreendedorismo e Consciência. A Hub Escola de outono, oferecerá atividades diárias, durante três semanas, nos espaços do Hub São Paulo, um local de trabalho que inspira, conecta e catalisa empreendedores de negócios sociais. As atividades variam entre oficinas, palestras, painéis, diálogos, atividades físicas ou ao ar livre e estão organizadas sob três temas: Inovação, Empreendedorismo e Consciência.

veja completo

por
ARQUIVO

Nosso convidado no Sarau de Ideias do dia 11 de outubro foi o André Saito, colega descendente de japoneses que trabalhar na área de inovação e gestão do conhecimento e fez seu doutorado no Japão. Começamos passando por uma breve tipologia da inovação: . a inovação em P&D, aquela que nasce na pesquisa e dá origem a metodologias como o Funil de Inovação, . a Inovação com foco em marketing, que está ligada sobretudo à emergência das necessidades dos consumidores, . a inovação com foco em novos modelos de negócios, que dá origem a modelos de estrutura organizacional como as unidades de negócios, por um lado e também está ligada a startups, por outro. . finalmente, temos a cultura de inovação,ligada ao desenvolvimento organizacional e à busca de uma atitude empreendedora nas empresas. Rumo ao Japão O silêncio, a hierarquia, a disciplina, a contemplação, a paciência para as minúcias. Um mapa contido e uma visão de que tudo está em composição, assim como nos ideogramas da linguagem japonesa. O desafio para eles então é: como abrir espaço para inovar em meio a tanta precisão? A qualidade oriental que vem em resgate é a impermanência, a noção de que nada dura para sempre e tudo está em movimento, de tal forma que há sempre a abertura para a inovação incremental. Segundo André, estamos falando de uma inovação mais experimental do que metodológica, mais orgânica e analógica. Por associação, por ajustes sistemáticos e constantes, os japoneses vão compondo novos produtos e métodos. É uma inovação que caminha devagar e por vezes invisível. Sentir o tácito Ao contrário do que muitos podem imaginar, André retratou aqui um Japão impreciso, que valoriza o conhecimento tácito em sua natureza mais fundamental, que é estar oculto em alguém. Não necessariamente esse conhecimento precisa ser documentado. Enquanto no ocidente, fala-se constantemente na necessidade de explicitar o tácito, já no Japão há uma postura receptiva que permite a passagem do conhecimento tácito para o tácito que acontece nos diálogos e nas relações de forma geral. Não há a busca frenética por dispositivos que esclareçam e revelem. É preciso empatia para sentir o tácito que o outro oferece, para entender o que ele experimenta, sabe e  vive. Passar do tácito para o tácito é uma grande arte oriental. Foco no pensar coletivo Outro contraste: no oriente o foco é muito maior no pensar coletivo, no consenso e na decisão de grupo, algo que hoje chamamos de co-criação. Dessa forma, a preocupação com a autoria é muito menor do que no ocidente e indivíduo tem menos necessidade de aparecer. O desafio na hora de inovar, para os japoneses, está em buscar a divergência e conseguir contrastar idéias. Quando há alguém mais experiente ou mais velho na sala, a tendência é que sua opinião prevaleça, dada a importância da hierarquia. Nada de discussões acaloradas e de querer ter uma idéia mais brilhante do que o outro. Segundo André, esse é um dos pontos que hoje as empresas japonesas buscam modificar, inclusive construindo ambientes de experimentação e se apropriando de métodos que dão uma dimensão mais “horizontal” às relações. BA Foi então que chegamos a um dos pontos mais interessantes da discussão. Falávamos do modo como as organizações procuram desenvolver inovações, que é muito distinto no ocidente e no oriente. Aqui, a pressão por resultados impera e há um grande foco nos processos de gestão da inovação. Já no oriente, busca-se entender o foco da inovação. Para que ela serve? Qual o desafio inspirador? É esse desafio e essa ambição que criam o contexto da inovação. Aí entra o BA. BA, em japonês, que dizer literalmente lugar, mas pode ser um ambiente, um momento, ou um lugar psicológico. É preciso criar um BA específico para que a inovação aconteça! Sem esse BA, não há sistemas, métricas ou processos que garantam a inovação. Gestão da complexidade Inovar está relacionado a gerir e estimular sistemas que são complexos. A idéia do BA me pareceu imensamente sábia porque, nesse caso, muito mais do que gerar uma grande intervenção, um grande processo ou métricas sofisticadas, estamos falando em gerar contextos locais de inovação. Dessa forma a qualidade da intervenção do gestor no seu ambiente local passa a estar no centro do palco da inovação.  É ele quem vai dizer se é necessário maior de flexibilidade, visão de melhoria contínua ou se no momento é preciso simplesmente arrumar a casa e abrir espaço para conversar. Me pareceu que essa visão tem tudo a ver com a pintura oriental, na qual uma pequena imagem dá o contexto para  vazios que parecem grávidos de possibilidades. André Leirner, que estava por aqui, complementou. Nos sistemas complexos, a gente não sabe o que vai emergir, mas pode criar condições infra-estruturais, contornos e parâmetros para que algo interessante e quem sabe inovador, possa emergir. Fica então o desafio de colocar em prática, já que somos ocidentais, algo que é tão relacional quanto essa proposta oriental de inovação. Será possível?

veja completo

por
ARQUIVO

Objetivo: Possibilitar a atualização das práticas de gestão de pessoas a partir do entendimento de tendências tais como: •As organizações como redes de conversações (low tech + high tech) •Mapeamento de redes (como mudam as estratégias de diagnóstico de RH) •Cultura e mudança organizacional (estratégias que consideram a organização como rede) •Aprendizagem informal (Internet Time Alliance e o modelo 70-20-10) •Métodos de ativação da criatividade (design thinking, cibernética e além) •Protagonismo e Gestão pessoal do conhecimento (PKM) •A recuperação dos micro-contextos de aprendizagem auto-gerida (a aprendizagem pela ação) Metadesign (a importância das habilidades de design para profissionais de RH) Como funciona: O conteúdo do workshop será organizado a partir de um mapeamento prévio de interesse do grupo. A atividade inclui conteúdo teórico e laboratório prático. Para essa atividade é recomendada a participação de 15 a 20 pessoas. A duração pode ser de 1 a 3 dias, dependendo do número de tópicos abordados. Entregas: Ao final do processo os participantes terão um melhor entendimento das tendências abordadas e terão realizado uma reflexão sobre as condições de introdução dessas tendências no seu ambiente de trabalho. Data:  22, 29 e 30 de agosto de 2011 Horário: Dia 22, 2 horas no ambiente virtual. Dias 29 e 30, dia inteiro no ambiente presencial. Local: a definir Investimento R$ 980,00 Vagas limitadas :  máximo de 20 participantes Reserve já sua vaga encaminhando email para dobra@dobra.com.br

veja completo

por
ARQUIVO

Objetivo: Ativar o processo criativo pessoal através do uso de exercícios de auto-conhecimento e de gestão pessoal do conhecimento, conhecida  como PKM. Como funciona: Essa atividade combina o uso de técnicas de PKM com exercícios do Leque de Criatividade e permite uma melhor compreensão: 1)     dos potencias criativos pessoais e das etapas do processo criativo 2)      dos processos de gestão pessoal do conhecimento, que incluem a gestão da atenção, do foco e do acesso à informação hoje potencializados pela web. São realizados exercícios em que os participantes verificam e discutem como fazem a gestão pessoal do seu conhecimento e como isso pode ser usado para melhorar suas condições de criação. São abordadas uma série de ferramentas tanto de PKM quanto de criatividade para que cada pessoa comece a mapear o que pode ser mais interessante para si. Essa atividade tem a duração de um dia e podem participar grupos de 10 a 25 pessoas. Conheça mais sobre o leque de criatividade e sobre PKM no Ideias pra Inovar. Entregas: Ao final do processo os participantes estarão mais aptos a gerenciar seu ambiente pessoal de gestão do conhecimento respeitando e ativando as diferentes etapas do processo criativo. Data:  24  de julho de 2011 Horário: 10:00 ás 18:00 Local: Hub SP. Rua Bela Cintra, 409, Consolação, Sao Paulo - SP Investimento R$ 105 a R$ 210,00 Vagas limitadas :  máximo de 40 participantes Reserve já sua vaga fazendo a inscrição no Hub Escola de inverno 2011

veja completo

por